Tempo , , 0°C

Baiano: piloto de glider morre em voo na rampa que ele mesmo criou

Baiano: piloto de glider morre em voo na rampa que ele mesmo criou

Baiano: piloto de glider morre em voo na rampa que ele mesmo criou
dezembro 17
18:05 2017

Morreu no início da tarde desta sábado, 16 de dezembro, o piloto de glider Paulo Trevisan, o Baiano, aos 56 anos de idade. Testemunhas disseram ao Corpo de Bombeiros que Paulo Sérgio perdeu o controle do paraglider quando sobrevoava a Serra de São Domingos e caiu em um local de difícil acesso, a 30 metros da rampa de voo livre, próximo ao Cristo Redentor.

Ainda segundo os bombeiros, Baiano estava a cerca de 100 metros de altura quando a vela que ele pilotava entrou em colapso por duas vezes, mas com estava próximo ao solo não conseguiu acionar o reserva e caiu.

Um médico que estava no local ainda tentou a reanimação até a chegada do socorro. Os bombeiros disseram ainda que Baiano teve uma parada cardiorrespiratória e foi encaminhado para a Santa Casa de Poços de Caldas, mas não resistiu.

Pioneiro

Paulo Sérgio Trevisan era tido na cidade como o pioneiro de vários esportes radicais, entre eles o voo.  Morreu na rampa que leva o seu nome “Rampa do Baiano”, onde fez o primeiro voo de asa delta que ele mesmo construiu, em 12 de dezembro de 1976.

Em sua página oficial, o Clube de Voo Livre de Poços de Caldas postou logo após o acidente que “esta pessoa mega especial voou pela primeira vez com uma asa delta construída por ele mesmo em Poços de Caldas. E este, além de ser o primeiro voo dele, foi o primeiro voo realizado na nossa cidade. E por isto a nossa rampa se chama Rampa do Baiano”.

A morte do piloto suscitou nas redes sociais uma séria de comentários dos inúmeros amigos de admiradores, lamentando o acontecimento. “Uma perda inestimável! Ao menos a certeza de que morreu fazendo algo que adorava. Que seja feliz aonde estiver. De preferência com asas para continuar voando”, diz um internauta.

Paulo Trevisan chegou a postar em uma rede social um video em que conta como foi a construção da primeira asa delta e o voo inaugural da rampa que leva o seu nome. Bem humorado, explica passo a passo como foi idealizar e construir o equipamento sem contar com a ajuda ou informações de como realizar o intento.

A família de Paulo Trevisan aguarda a chegada de duas filhas dele que moram nos Estados Unidos, o que deve ocorrer nesta segunda-feira, 18. Segundo amigos, o corpo do piloto deve ser cremado e as cinzas lançadas sobre a rampa que ele mesmo criou.

Compartilhar

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *