Tempo , , 0°C

Anteprojeto propõe iluminação de LED em prédios públicos

 Extra!

Anteprojeto propõe iluminação de LED em prédios públicos

agosto 21
16:26 2017

 

Meio ambiente equilibrado e redução do consumo de energia são alguns dos benefícios apresentados no anteprojeto de lei n. 42/17, que sugere ao Executivo o uso de lâmpadas de LED em todos os órgãos e espaços públicos do município. O vereador Marcelo Heitor (PSC), autor da proposta, usou a Tribuna da Câmara na última terça-feira (15) e destacou que, apesar de simples, a medida pode trazer resultados positivos para a cidade.

De acordo com a matéria, o Executivo, através dos órgãos competentes, providenciará as adequações necessárias no sistema de iluminação pública a fim de que ocorra a implantação das lâmpadas de LED. O anteprojeto prevê, ainda, que a medida deverá ser adotada em todas as vias públicas.

Segundo o vereador, estudos já realizados revelam que a conversão para tecnologia LED diminuiria em até 50% as emissões de CO2 em pouco mais de 20 anos. Além disso, as lâmpadas de LED são duas vezes mais eficientes que as demais e a geração de calor durante o processo é praticamente nula. “Hoje, nós temos uma preocupação em relação ao meio ambiente e também ao consumo. Assim, acredito que uma atitude simples pode trazer resultados para o Executivo e um bom exemplo para a sociedade no que diz respeito à economia, que pode chegar perto dos 90% quando comparada a uma lampada convencional. Além disso, a durabilidade dela é de 50 mil horas, enquanto a comum tem de uma a seis mil horas. Pensando nessa necessidade e nesse benefício, espero que o Executivo dê uma resposta positiva diante desse assunto”, destacou Marcelo Heitor.

Indicação

O vereador apresentou, ainda, uma indicação sugerindo ao Executivo a implantação de recipientes para coleta de lâmpadas usadas em pontos estratégicos da cidade. Ele alegou que, com a desativação do ponto de coleta do Terminal de Linhas Urbanas, a comunidade está sem opção para realização do descarte correto. “As lâmpadas fluorescentes, em especial, contêm elementos químicos danosos à saúde e ao meio ambiente, portanto devem receber tratamento especial no que diz respeito à destinação final”, comentou.

Durante o uso da Tribuna na última terça-feira, o parlamentar lembrou que o Código de Posturas do Município proíbe o descarte doméstico de lâmpadas fluorescentes ou a vapor de mercúrio. “Existe a preocupação com a contaminação do solo e muitas vezes o destino final dessas lâmpadas é o aterro do município. Em resposta a um requerimento sobre o assunto, a Prefeitura informou que o município não conta com esse espaço, portanto existe a necessidade de uma atenção especial nesse assunto”, concluiu.

Compartilhar

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *