Tempo , , 0°C

 Extra!

agosto 07
14:27 2017

Foi realizada na manhã da última sexta-feira, 4, no auditório da Secretaria Municipal de Educação (SME) uma reunião com representantes das unidades escolares da Educação Infantil e Ensino Fundamental, do Conselho Municipal de Educação e do Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb para discutir uma possível revisão nos materiais que compõem os kits escolares entregues aos quase 20 mil alunos matriculas na rede municipal de ensino.

Os participantes analisaram as sugestões dos profissionais da educação, que foram solicitadas anteriormente pela SME às unidades escolares. A orientação foi que os diretores das escolas e os coordenadores dos Centros de Educação Infantil disponibilizassem em suas unidades um espaço de diálogo, recebendo sugestões quanto a composição dos kits escolares.

“ Uma planilha com uma relação dos materiais que compõe os kits escolares foi encaminhada às unidades de educação. A gestão da unidade escolar ficou responsável por essa consulta aos profissionais, tanto no que se refere ao quantitativo de cada item, quanto colhendo as sugestões para inclusão de novos itens. Depois os gestores enviaram de volta para a SME que realizou compilação. Na reunião de hoje, foi realizada a análise desses dados coletados  ”, explicou a Gerente de Inclusão Digital, Patrícia Lisboa.

Para a Presidente do Conselho Municipal de Educação, Débora Brianezi Reis de Andrade, essa reunião é importante para que a administração possa evitar  possíveis sobras de determinados itens ou escassez de outros materiais que também são importantes para o desenvolvimento do trabalho pedagógico“com essa reunião conseguimos fazer um apanhado das sugestões das escolas e CEI’s. para que os professores tenham um aproveitamento real e adequado desses materiais”.

Para a Coordenadora da Divisão de Administração, Daniela Azevedo Volpi Braz, a revisão nos materiais que integram os kits escolares partiu de uma demanda apontada pelo próprios profissionais da educação, que sinalizaram a existência de componentes não tão adequados a determinas faixas etárias, como exemplo, o modelo de caneca entregue no kit do Berçário I, que poderá ser substituído por um modelo com duas alças e tampa, conforme sugestão dos educadores. Também o jogo de canetinhas de 24 cores que integra o kit para crianças de 2 a 3 anos, sendo mais ideal para esta faixa etária o gizão de cera. “Concluímos a fase mais trabalhosa e demorada que foi a consulta aos profissionais da educação e a análise por parte dos conselhos e representantes das unidades, de forma democrática e transparente. Contudo, a alteração da composição dos kits ainda requer alteração na Leis que regulamentam a distribuição de material didático escolar e, portanto, deverá passar pela Câmara Municipal.” – Concluiu.

“É de suma importância nos reunirmos para fazer essa revisão do kit escolar, pois na unidade de ensino estão questionando alguns itens que não são adequados a faixa etária, então nessa revisão tivemos a oportunidade de reavaliar a utilidade desse material”, concluiu a Supervisora Pedagógica, Wander Lucia Silva de Castro.

Compartilhar

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *