Educação realiza pesquisa sobre acesso à internet de estudantes da Rede Municipal

Educação realiza pesquisa sobre acesso à internet de estudantes da Rede Municipal

Educação realiza pesquisa sobre acesso à internet de estudantes da Rede Municipal
abril 30
11:02 2020

A secretaria de Educação de Poços de Caldas disponibilizou uma pesquisa direcionada aos alunos matriculados no Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino, bem como aos professores, supervisores pedagógicos e gestores escolares para levantamento e diagnóstico sobre o acesso à rede internet. A pesquisa quer saber ainda os principais meios digitais que poderão ser utilizados na realização de atividades não presenciais para reposição da carga horária não cumprida durante a suspensão das aulas, em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A pesquisa inclui o levantamento de dados como nome do estudante, escola, ano escolar, turma, turno, tipo de acesso à internet (dados móveis via celular, internet em casa, não tem acesso, somente whatsapp) e dispositivo que o estudante utiliza para a conexão (celular, computador de mesa, notebook, tablet). A pesquisa será coordenada pelos gestores e enviada aos professores, estudantes e seus responsáveis.

“A participação das famílias é de fundamental importância para responder as perguntas desta pesquisa, já que elas terão um papel relevante na organização de uma rotina diária para a execução das atividades a serem realizadas, a fim de que cumpram o seu objetivo de manter o vínculo do estudante com a aprendizagem, evitando assim o aumento das desigualdades, da evasão e da repetência”, destaca a coordenadora da Divisão Pedagógica da SME, Marta Sueli de Andrade.

A pesquisa já foi realizada com os estudantes matriculados no Ensino Médio da Rede Municipal, pela urgência em traçar estratégias para esta modalidade de ensino em razão da participação no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A adesão foi bastante abrangente, atingindo 98% dos estudantes.

De acordo com a gerente do Programa de Inclusão Digital da SME, Patrícia Lisboa Faria, os dados, de natureza quantitativa, serão de extrema relevância para análise, avaliação e tomada de decisões quanto às melhores ferramentas digitais que poderão ser utilizadas para a realização das atividades remotas. “A empresa que presta serviços tecnológicos à Prefeitura já disponibilizou uma nova ferramenta com aplicativo para as atividades não presenciais. O próximo passo será a oferta de tutoriais sobre a utilização desse recurso, com o objetivo de orientar alunos e professores”, informa. Já na pesquisa com os educadores, os docentes também poderão opinar sobre quais estratégias preferem utilizar para a reposição das aulas.

A Seção de Educação Infantil da Secretaria Municipal de Ensino está realizando um estudo sobre os pré-requisitos, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o Currículo de Referência de Minas Gerais (CRMG), para orientar o trabalho dos docentes após a retomada das aulas. A equipe também está selecionando atividades dos Campos de Experiência, que serão disponibilizadas em Plataformas de Atividades Remotas. O objetivo do trabalho é manter o contato com o estudante e aproximar as famílias de forma afetiva.

“Queremos tranquilizar os pais e responsáveis e dizer que estamos trabalhando incansavelmente para minimizar os efeitos da suspensão das aulas para os nossos alunos, especialmente os que estão no Ensino Médio do Colégio Municipal e que devem passar pelo Enem. Embora, particularmente, não seja adepta à Educação a Distância, o momento nos obriga a buscar soluções eficazes e, em breve, a Secretaria de Estado de Educação disponibilizará para a rede municipal teleaulas e material em pdf. Lembrando que nosso objetivo maior é manter a relação entre aluno e escola, fundamental no processo de ensino-aprendizagem”, ressalta a secretária municipal de Educação, Maria Helena Braga.

Desde meados de abril, a secretaria de Educação, em consonância com o Conselho Municipal de Educação e os gestores das unidades escolares municipais, vem realizando inúmeros estudos e reuniões sobre as alternativas para a reposição das aulas, que estão suspensas desde o dia 18 de março, por ocasião da pandemia do novo coronavírus, dedicando todos os esforços para buscar soluções adequadas que contemplem as especificidades da Rede Municipal de Ensino.

Compartilhar

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *