Casarão do Conde Prates sofre segundo incêndio em três meses

Casarão do Conde Prates sofre segundo incêndio em três meses

Casarão do Conde Prates sofre segundo incêndio em três meses
novembro 14
14:45 2019

O Corpo de Bombeiros de Poços de Caldas atendeu nesta quarta-feira, 11, um novo incêndio no casarão do Conde Prates, esquina das ruas Junqueiras e Francisco Faria Lobato, no centro da cidade. Tombado como patrimônio histórico,  a edificação foi tomada pelas chamas por volta de 5h. O local já tinha sido parcialmente destruído por um incêndio em agosto.

Segundo os Bombeiros, o incêndio atingiu agora uma outra parte do telhado, que havia sido preservada no primeiro incêndio, há quase três meses. Mais de seis mil litros de água foram usados no combate às chamas pelas equipes dos bombeiros que foram para o local. Os trabalhos de rescaldo foram acompanhados pela  perícia e a Defesa Civil. A Defesa Civil informou em nota, que não há risco de desabamento da estrutura, mas que há riscos na parte restante do telhado. Por causa disso, o local foi isolado para evitar a ocorrência de acidentes. O trânsito de veículos foi fechado na Doutor Faria Lobato no início da manhã, mas foi liberado por volta das 9h30.

O primeiro registro de incêndio no local aconteceu no dia 26 de agosto. Na ocasião, as chamas começaram de madrugada e destruíram parte do telhado o imóvel. O incêndio comprometeu toda a estrutura do local. O trabalho para conter as chamas durou cerca de cinco horas e foi necessário, inclusive, interromper o abastecimento de energia elétrica ao redor do imóvel durante a operação. Na época, uma perícia foi realizada no local. Histórico De acordo com informações divulgadas pela prefeitura, o casarão foi construído em 1886 para ser uma casa de veraneio do Conde Eduardo Silva Prates.

Em junho de 2016, o imóvel, conhecido como “Sobrado Conde Prates”, foi tombado como patrimônio histórico pelo Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Cultural e Turístico. O imóvel foi adquirido há menos de dois anos por um empresário de Poços de Caldas. Em agosto, dias antes do primeiro incêndio, o empresário que adquiriu o prédio apresentou um projeto para construir no local um hotel no terreno ao lado, mantendo o casarão como restaurante e um ponto de apoio do hotel.

Este projeto foi encaminhado para a prefeitura, já que, por se referir a um bem tombado pelo patrimônio histórico, precisava de aprovação para ser levado adiante. Depois do incêndio, manifestantes se reuniram em frente ao casarão e deram um abraço simbólico no prédio. Fonte: G1 Sul de Minas.

Com informações do portal G1 Sul de Minas.

Compartilhar

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *