Flipoços 2019 doa obra para biblioteca pública do Monjolinho

Flipoços 2019 doa obra para biblioteca pública do Monjolinho

Flipoços 2019 doa obra para biblioteca pública do Monjolinho
setembro 06
15:01 2019

Como última atividade do Flipoços 2019, que aconteceu de 27 de abril a 05 de maio, a curadoria doou oficialmente o painel realizado pelo artista plástico Samora Delcio para a Biblioteca Municipal Prof. Júlio Bonazzi, no Monjolinho. Como tradição, durante a realização do Festival um artista é convidado para realizar uma obra que posteriormente é doada a algum local próprio do município.

Foi assim em 2013, quando o muralista reconhecido internacionalmente Eduardo Kobra esteve no Flipoços e fez um painel retratando o escritor Ariano Suassuna (que também esteve no festival naquele ano) e os dois assinaram o trabalho. Esse quadro de valor histórico encontra-se na Biblioteca Municipal Centenário e hoje é ponto de visitação. Depois em 2014 a grafiteira Evelyn Queiroz “Negahamburguer” veio ao Festival e criou um painel que foi doado para a Escola Padrão.

Já em 2015, o Flipoços completou 10 anos e Ziraldo foi o patrono do Festival, sendo realizado um painel em stêncil pelo artista plástico Marcelo Abuchala, retratando vários rostos dos convidados daquela edição e assinado por eles, inclusive pelo próprio Ziraldo, o que seria também um quadro histórico. Esse painel foi doado em solenidade para as Thermas Antonio Carlos, mas lamentavelmente, com tantas mudanças de gestão o painel desapareceu das Thermas e Poços perdeu o objeto do seu acervo histórico.

Agora, em 2019, a curadoria convidou o artista mineiro Samora Delcio, considerado um abstratista moderno e com arte que se caracteriza pela liberdade expressiva. Foi com o espírito leve que o artista construiu o painel na mesa Literatura e Artes no Flipoços 2019 e que agora foi doado à Biblioteca Prof. Júlio Bonazzi, no bairro Santa Rita. Segundo a coordenadora das Bibliotecas a doação do painel dará um colorido especial ao local. “Temos um problema de vandalismo e descaso nessa Biblioteca, esperamos que com essa revitalização a comunidade passe a vir mais ao espaço e dar mais valor a ela que é um local que ficou ainda mais agradável com a obra colorida do Samora”, conta Angela Nogueira. Para a curadoria do Festival, é gratificante deixar marcas do Flipoços por toda cidade.

“Somos uma cidade literária desde a fundação – conta a curadora Gisele Ferreira – essa atmosfera foi potencializada pelo Flipoços e, quando temos a possibilidade de contribuir com essa história, ficamos muito contentes. Doar esse painel para a ‘Biblioteca do Monjolinho’ representa a continuidade de um trabalho em prol do livro, leitura e literatura”. A solenidade de doação ocorreu no dia 05 de setembro, na biblioteca e contou com a presença de representantes das Secretarias Municipais da Cultura e Educação, Superintendência Regional de Ensino, SENAC, Unip e apoio da Big Pão.

Fipoços 2019 em números: 90 mil visitantes entre moradores da cidade, visitantes de outras regiões e vários estados do Brasil. 80 expositores juntos venderam R$ 2,2 milhões. 100 mil títulos diferentes nos estandes da Feira. O Festival recebeu 160 convidados. 100 horas de programação. Escritores de 6 países (EUA, Síria, Uruguai, Colômbia, Portugal e Itália). 500 pessoas participam da cadeia produtiva do evento. 300 escolas e unidades educacionais de toda a região também passaram pelo evento. 70% de ocupação na rede hoteleira e também em aplicativos de hospedagem na cidade. Em 2018, o festival recebeu o troféu de vencedor na categoria Cadeia Produtiva do Prêmio IPL – Retratos da Leitura 2018. O Flipoços 2020 já tem data definida – de 25 de abril a 03 de maio – e vai falar sobre “Mulher e Literatura: da poesia ao poder”. Acesse o site para mais informações www.flipocos.com

Compartilhar

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *